Redação
O editor perfeccionista e o público a dedo de Xaropinho
20 Fevereiro 17:12
Arena da Amazônia
A rejeição ao Clássico dos Milhões deve promover uma reflexão
21 Fevereiro 02:37

Enquanto grandes têm prejuízo, Ferj lucra R$ 418 mil com taxas no Carioca; Fla se salva

Arena das Dunas em jogo do Flamengo

Arena das Dunas, em Natal, na estreia do Flamengo no Carioca, contra o Boavista

Arena das Dunas, em Natal, na estreia do Flamengo no Carioca, contra o Boavista: clube foi o único a ter lucro

Ao fim da primeira fase da Taça Guanabara, clubes sentam e fazem as contas sobre seus desempenhos em bilheterias e a conclusão é óbvia: quem sorri é a Federação de Futebol do Estado do Rio de Janeiro (Ferj). Apenas com taxas cobradas em jogos do quatro grandes clubes cariocas, a entidade arrecadou aproximadamente R$ 418 mil, lucro maior do que qualquer outro integrante do Campeonato Carioca. Aliás, além da Ferj, apenas o Flamengo conseguiu também ter lucro com a primeira fase do Estadual. Os outros três grandes – Botafogo, Fluminense e Vasco – terminaram a primeira fase da competição no vermelho.

O Flamengo embolsou R$ 310 mil entre receita e despesas nos cinco jogos que disputou na fase inicial do Estadual. O Rubro-Negro teve muita ajuda dos R$ 255 mil recebidos em seu jogo de estreia, curiosamente longe do Rio de Janeiro, contra o Boavista, na Arena das Dunas, em Natal. Mal ou bem, o Rubro-Negro conseguiu se equilibrar em um campeonato tão deficitário e teve prejuízo apenas na última rodada, contra o Madureira. Por ser quem mais arrecadou, no entanto, o clube da Gávea foi consequentemente quem mais contribuiu com a Taxa Ferj, valor de 10% sobre a renda bruta de cada partida cobrado pela Federação. Foram R$ 192 mil.

O Botafogo, por sua vez, só viu o Carioca na cor vermelha. Além de ficar fora das semifinais, o Glorioso teve prejuízo de R$ 588 mil ao disputar os cinco jogos no Carioca. E ficou claro o tamanho do problema que é abrir o Engenhão em jogos contra times de menor porte. A grande parte do valor vem dos saldos negativos nos jogos contra Macaé e Nova Iguaçu. Ambos foram disputados no Nilton Santos e, juntos, deram prejuízo de R$ 610 mil. O clássico com o Flamengo diminuiu o prejuízo do presidente Carlos Eduardo Pereira, com R$ 60 mil de lucro. Foi o único jogo do Botafogo a não ter saldo negativo em um borderô no Estadual.

Fluminense e Vasco também pagaram para jogar no Campeonato Carioca. O Tricolor levou 18.313 pagantes em cinco jogos na competição, resultado num prejuízo total de R$ 317 mil. O Vasco, mesmo com estádio próprio, São Januário, também encontrou dificuldades. Foram 32.012 torcedores que pagaram para assistir aos jogos do time, mas o saldo na junção dos borderôs foi negativo, de R$ 158 mil. No geral, mesmo com o lucro do Flamengo o prejuízo dos quatro grandes juntos chegou a quase R$ 755 mil. Panorama bem distante do céu azul da Ferj.

Confira abaixo:

Clube Taxa Ferj Pagantes Presentes Receita Bruta Receita líquida
Botafogo R$ 103.780,00 34.563 37.968 R$ 1.098.545,00 – R$ 588.896,43
Flamengo R$ 192.401,50 50.500 55.706 R$ 2.022.230,00 R$ 310.531,50
Fluminense R$ 42.440 18.313 20.379 R$ 486.080,00 – R$ 317.918,25
Vasco R$ 79.854 32.012 35.958 R$ 857.635,00 – R$158.510,67
Total R$ 418.475,50 135.388 150.011 R$ 4.464.490,00 – R$ 754.793,85
  • Mauro Sousa

    Pergunto: Nenhum associado do Vasco, Bota ou Flu reclama desse cenário? Os conselhos fiscais, financeiros e/ou administrativos não questionam esses números? Isso não faz sentido…