Vinicius Junior Flamengo Vasco Maracanã 2018 Martin Silva
Em um clássico empobrecido, Flamengo e Vasco duelam seus esboços na temporada
27 Janeiro 23:41
Pikachu Vasco Universidad Concepción
Disciplinado e eficiente, Vasco entra com pé na porta na Libertadores
01 Fevereiro 00:23

A morada eterna de um ídolo

Julio Cesar Flamengo Hugo Souza Victor Hugo Yago Darub

Julio Cesar Flamengo Hugo Souza Victor Hugo Yago Darub

Ao bater o olho você já sente a diferença. Estaciona a timeline, volta com o dedo passeando pelo smartphone. Confere de novo. Pensa. Admira. Elogia mentalmente. Compartilha. Tudo pela sedução de uma imagem. À frente, desfocado, Julio Cesar agarra uma bola em seu primeiro treino no retorno ao Flamengo. Ao fundo, três garotos da base – Hugo Souza, Victor Hugo e Yago Darub – observam. Misturam olhares de curiosidade, admiração, assombro. Em uma imagem para sempre. Coisas de Gilvan.

Por alguns bons anos trabalhei com Gilvan de Souza, fotógrafo do Flamengo, no diário LANCE!. Era daqueles caras com o qual você ia para a rua com gosto. Discutia sobre a foto para a página do dia seguinte. Pedia algo, sugeria. Ele vinha com uma imagem ainda melhor. Criativo, inquieto, piadista. E ali com a câmera num dia chuvoso ele conseguiu eternizar com um clique a segunda passagem do ídolo rubro-negro pelo clube. A sensação de surpresa com a foto, uma delícia, felizmente já senti várias vezes ao sair com o atual fotógrafo do Flamengo na cobertura de um treino.

O talento de Gilvan aflorado em uma imagem conseguiu algo raro nos dias atuais. Simplesmente admirarmos a foto. Pararmos, nos concentrarmos. Refletirmos diante da enxurrada de fotos e vídeos que inundam nosso cérebro a cada dia. Não foi por acaso que a foto viralizou em redes sociais, sites. Uma vitória. Julio Cesar voltou ao Flamengo já dividindo opiniões. Muitos rubro-negros torceram o nariz, indicando que a prioridade seria outra. Talvez vários deles sejam tão jovens a ponto de não ter entendido o que significava a volta de Julio ao clube.

Mas ali, com três garotos hipnotizados por um movimento do goleiro, provavelmente compreenderam o tamanho de Julio Cesar. Em um Flamengo que insistiu em buscar a identidade em 2017, o goleiro voltou para dar um pouco disso. O sentimento rubro-negro, o valor de uma referência que iniciou nas categorias de base do clube, conquistou o mundo e voltou para casa. Uma magia que é quase impossível descrever. Quase. Pois Gilvan fez muita gente sentir. Simbolizou, numa imagem, o retorno de Julio ao clube. Fez do retrato a morada eterna de um ídolo.

Os comentários estão encerrados.