Copo cheio ou vazio? Fla arranca empate, mas mostra futebol pobre diante do Furacão
28 Maio 18:40
Vasco Milton Mendes 2017
A leveza de Milton Mendes
29 Maio 02:46

Uma para lá, dois para cá: Guerrero e Zé completam marcas no Fla nesta segunda

Guerrero Flamengo Botafogo semifinal Carioca 2017

Guerrero chegou a nove gols em nove partidas disputadas no Campeonato Carioca

Zé Ricardo Flamengo 2017

Um para lá, dois para cá. Nesta segunda-feira, dois pilares do atual Flamengo completam marcas importantes no clube. Há dois anos, Guerrero era anunciado como reforço rubro-negro. Há um ano, Zé Ricardo estreava no comando técnico dos profissionais do clube. Trajetórias que ganharam forças juntas, principalmente a partir da última temporada.

Guerrero foi a primeira grande cartada da gestão de Eduardo Bandeira de Mello. Um cartão de visitas ao mercado, quando o clube carioca tomou o então ídolo corintiano em fim de contrato. O clube paulista, envolto em dívidas, não conseguiu mantê-lo. Convocado para a disputar a Copa América de 2015, ele agitou a torcida ao posar com a camisa do clube.

Vive em 2017 sua grande fase. São 13 gols em 21 jogos, além da conquista do Campeonato Carioca, do qual foi artilheiro. Na primeira temporada, o peruano balançou o Maracanã com o canto “Acabou o caô, o Guerrero chegou”. Apesar dos gols na estreia com a camisa do clube e na primeira partida no Maracanã, somou apenas três gols em 18 jogos. Em 2016, a média subiu: 18 gols em 58 jogos.

Gols que ajudaram a solidificar o trabalho de Zé Ricardo. Em 29 de maio de 2016, o técnico deixou para trás a categoria sub-20, onde fora campeão da Copinha, e alçado a técnico dos profissionais. A vitória de 2 a 1 sobre a Ponte Preta em Campinas, quebrando tabu de 11 anos, ajudou na sequência no cargo. Zé conseguiu bons resultados e embalou.

Deu ao Flamengo uma consistência rara na história recente do clube. Disputou o título brasileiro com o Palmeiras, mas perdeu fôlego na reta final. Terminou a competição em terceiro lugar, melhor posição desde o título de 2009. Atualmente, Zé tem em 69 jogos oficiais o aproveitamento de 64,7% à frente do Flamengo. O melhor desde Andrade, demitido em 2010 com 69%.

O treinador, no entanto, chega a um ano de trabalho justamente em seu momento mais turbulento. O futebol e sua tênue linha entre sucesso e fracasso. Afagos e críticas. No ano, o Flamengo de Zé tem 70% de aproveitamento e a conquista do título carioca sobre o Fluminense. Mas a queda vexatória na primeira fase da Libertadores pôs seu prestígio em xeque. O desempenho da equipe caiu e agora ele luta para blindar o elenco e retomar o bom caminho após a turbulência. Junto de Guerrero, ele terá uma semana até o próximo jogo, clássico contra o Botafogo. O primeiro após as marcas desta segunda-feira.

Os números de Zé e Guerrero:

Zé Ricardo:

2016 – 38J 20V 10E 8D
2017 – 31J 19V 9V 3D

69J 39V 19E 11D – 64,7%

Guerrero

2015 – 18 jogos / 3 gols
2016 – 58 jogos / 18 gols
2017 – 21 jogos / 13 gols

97 jogos / 34 gols – 0,35

Os comentários estão encerrados.