Sassá gol Barcelona Libertadores 2017
Lições da América: Libertadores mostra lado traiçoeiro, mas Botafogo volta mais cascudo
21 Abril 00:58
Wellington Fluminense Vasco 2017 semifinal Campeonato Carioca
A verdade do campo: a bola girou e mostrou que a distância entre Flu e Vasco é enorme
22 Abril 22:18

Dois turnos em um jogo: campeões das Taças GB e Rio, Flu e Vasco jogam pela final

Fluminense Vasco semifinal Carioca 2017 Luis Fabiano Wellington

Fluminense Vasco semifinal Carioca 2017 Luis Fabiano Wellington

E dois turnos, com duas taças levantadas, se resumem a um jogo. Vencedores da Taça Guanabara e da Taça Rio, Fluminense e Vasco decidem às 19h deste sábado, no Maracanã, a primeira vaga na final do Campeonato Carioca. Com melhor campanha, os tricolores podem empatar para avançar. Uma vantagem capaz de inverter os estilos das equipes no clássico.

Desde a estreia de ambos no Carioca, uma vitória tricolor acachapante por 3 a 0 no Engenhão, os times seguiram caminhos distintos. O Fluminense de Abel Braga amadureceu. A característica ofensiva perdurou no time mesmo com a ausência de seu principal jogador, Gustavo Scarpa, lesionado desde a semifinal da Taça Guanabara. A solução veio no próprio elenco, com Richarlison no lado esquerdo.

Provável Fluminense para o clássico

São 51 gols na temporada, 30 deles nos 14 jogos disputados no Estadual até agora. O 4-3-3 tricolor chama a atenção pela ânsia de gol. Wellington e Richarlison dos lados. Lesionado, Henrique Dourado deve dar lugar ao jovem Pedro. No meio, Abel pode manter Douglas ou voltar com Wendel. Duas revelações que vieram para ficar e ajudar Sornoza na condução do meio de campo. Com a vantagem no bolso e a necessidade do rival de atacar, modificar um pouco a estratégia pode ser o caminho para encurtar o caminho para a final.

Ceder mais a bola ao rival e encaixar contra-ataques furiosos foi arma utilizada pelo Fluminense em alguns jogos na temporada. É um time organizado e jovem. Conter a ansiedade pela iniciativa ao jogo será tarefa difícil no Maracanã. Faz parte da essência da equipe montada por Abel. Ao contrário do Vasco. Ainda em fase de ajustes de Milton Mendes, o time tem dificuldades, justamente, em criar oportunidades e convertê-las em gols. Foram apenas 16 marcados em 14 jogos no Campeonato Carioca.

A defesa, segunda melhor da competição com 11 gols sofridos, tem mostrado solidez. Principalmente com a chegada de Milton Mendes. Em seis jogos, o time sofreu dois gols. Nos últimos quatro jogos, não foi vazado. Uma evolução em relação ao time de Cristóvão Borges. O grande problema é: para avançar à final e buscar o tricampeonato carioca, o Vasco precisa fazer gols. Inicialmente em um 4-3-3 diante dos pequenos, o time adota o 4-2-3-1 ou 4-4-1-1 contra os grandes. Desta vez, no entanto, Andrezinho, com lesão muscular, não vai ocupar o lado esquerdo do campo. Milton Mendes dará agressividade ao setor.

O técnico sacramentou a entrada de Guilherme Costa, mais veloz e fisicamente mais preparado para o vaivém necessário. O garoto já foi carta na manga na conquista da Taça Rio diante do Botafogo na última semana. Por ali, o caminho para a conquista do returno começou. Neste sábado, ele será uma boa alternativa para segurar o lado direito tricolor com Lucas e Wellington.

Provável Vasco para o clássico

Com Pikachu, veloz, do outro lado e Nenê pelo meio, o time ainda conta com um Douglas inspirado para ajudar a abastecer Luis Fabiano. Grande revelação deste ano, o volante tem sido nascedouro das jogadas vascaínas. Muito do processo de reconstrução após a demissão de Cristóvão passa por ele. Defende e ataca com louvor. Em nove partidas, o garoto esteve em campo em 776 minutos, fez dois gols e recebeu três cartões amarelos.

Será um choque de ideias. Mas com um regulamento que pode fazê-los inverter características. Extremamente ofensivo, o Fluminense não precisa sofrer gols para voltar a uma final de Carioca depois de cinco anos. Recentemente eficiente na defesa, com o provocativo Rodrigo, o Vasco necessita agredir o adversário, criar possibilidades e balançar a rede ao menos uma vez. Campeão da Taça Rio, ganhou em confiança. Perfil que o Fluminense já tem. Diante de um regulamento esdrúxulo, os campeões de turnos do Campeonato Carioca disputam uma vaga na final em vez de protagonizá-la. Ao fim do jogo, apenas um terá consertado este erro.

O árbitro: Rodrigo Nunes de Sá.
Curiosamente foi quem apitou o confronto entre os dois clubes na estreia do Carioca, com vitória tricolor por 1 a 0. Além disso, apitou mais um jogo do Fluminense, vitória de 3 a 0 sobre o Macaé, na Taça Rio. E outro do Vasco, vitória cruzmaltina por 2 a 0 sobre o Nova Iguaçu.

O estádio: Maracanã.
O Fluminense jogou duas partidas em 2017 no estádio. Uma pela Sul-Americana, vitória de 2 a 0 sobre o Liverpool, outra pela Copa do Brasil, 3 a 0 sobre o Goiás. O Vasco disputou apenas um jogo, o empate sem gols com o Flamengo pela semifinal da Taça Rio.

Flu no Carioca:

Vasco no Carioca:

Os comentários estão encerrados.